Pedidos de Oração
   Entre em contato
O Fundador
"Deus cuida dos detalhes de nossas vidas!"
 
 
Publicado em 18 de Fevereiro de 2017

 

 

Padre Sérgio nasceu em São Paulo, capital, no dia 25 de fevereiro de 1958. Filho de Assao Nishiyama, japonês, e de Shizuko Nishiyama  (Shizuko Hisamatsu). Tem dois irmãos: Silvia Nishiyama e Renato Nishiyama.Foi batizado somente aos oito anos de idade, na Igreja de Santa Margarida Maria, Vila Mariana. Seus padrinhos foram: Francisco e Maria Lirola.

 

Cursou o então chamado curso primário no Grupo Escolar Prof. Gomes Cardim, no bairro do Cambuci, e o ginásio no Ginásio Estadual Professora Rita Pinto de Araújo, no bairro do Ipiranga. Frequentou depois a Escola Técnica Federal de São Paulo.       

Os pais não frequentavam a Igreja Católica, embora a mãe tivesse recebido o Batismo quando criança, no interior de São Paulo, provavelmente em Taquaritinga, onde nasceu em 16 de agosto de 1933. Não tendo o nome em português, era chamada pelas pessoas de “dona Elsa”. O pai não era batizado e era chamado de “Antônio”. Nascido em 9 de abril de 1933, na cidade de Kumamoto, Japão. Só em 1997, pouco antes de morrer aceitou ser batizado por Padre Sérgio e recebeu também oficialmente o nome de batismo de Antônio.

 

 

 

(Pais do Padre Sérgio)

                  

                                

Padre Sérgio recebeu a primeira comunhão no ano de 1968, depois de uma preparação catequética, sempre na paróquia de Santa Margarida Maria. Neste período em que fazia a catequese é que sentiu o primeiro chamado de Deus ao sacerdócio, durante a celebração da Missa. Quando o sacerdote ergueu a hóstia e o cálice sentiu-se tocado profundamente no interior do seu coração e sentiu que o Senhor o chamava a ser sacerdote. Não com palavras, mas como uma graça inexplicável que o tomou e parecia-lhe entender este chamado mais do que com o som de palavras.                                                                                                                                                                                                                                                                        

(No Primário)  

 

Depois da primeira comunhão e frequentando de tanto em tanto a santa Missa, afastou-se por um longo período dos sacramentos, embora não tivesse esquecido totalmente deste chamado que o Senhor lhe fez. De fato, não conseguia jamais tirar do coração que Deus lhe chamara para ser sacerdote; por mais que quisesse e tentasse afastar esta ideia, ela voltava inexoravelmente na sua mente e coração. Deus desde há muito já preparava-o para aquilo que lhe sonhava desde toda a eternidade.

 

Durante o ensino médio, entre os vários amigos do Coral da Escola Técnica Federal, uma das amigas, Regina Costa Pedro, hoje irmã Regina da Congregação da Missionárias da Caridade, irmãs do PIME, lhe se aproximou antes de uma apresentação do coral, e vendo-o vestido com a Beca, roupa cumprida do coralistas, disse: “Sérginho, você parece um padre!” e ele respondeu: “Eu quero ser padre, sim!”. Isso deixou-a um pouco inquieta e pensativa, e depois da apresentação do coral, fechadas as cortinas do teatro, ela procurou o amigo e lhe disse: “É verdade? Você quer mesmo ser sacerdote?”. “Sim, quero!”, foi a resposta.                A partir daí, começou os primeiros passos rumo à procura de um lugar para a realização desta vocação.

 

(Coral da Escola Técnica Federal)

 

 

Padre Sérgio fez uma experiência de aproximadamente seis meses junto a uma paróquia, onde o pároco acolhia vocações ao sacerdócio e à vida religiosa.

Durante esta experiência, conheceu uma religiosa, Irmã Benta Cinelli, que o ajudou depois a discernir melhor a sua voc
ação e o endereçou a um Instituto religioso, a Congregação dos Oblatos de Maria Virgem. Quem o acolheu nesta Congregação foi o Padre
Angelo Cremonti, italiano de origem, sacerdote muito piedoso e que zelava muito pelas vocações. Fez ali, em São Paulo, na paróquia de Nossa Senhora de Lourdes, dois anos de postulado, onde estudou Filosofia no Mosteiro de São Bento. Terminados os dois anos, fez uma experiência pastoral no Amazonas, na região da Ilha do Careiro.                                                                                                                                                                                                                                                                                                        
(Com o Padre Angelo Cremonti)                                                                                                                                                                                                                                

 

Passados quatros meses, foi enviado pelos superiores para a Itália para uma breve preparação para o Noviciado que começou em setembro de 1982 e terminou com a profissão dos votos no dia 12 de setembro de 1983.                                              ← (Na Itália)                                                   

 

                                                                                                                                                                                                                                                                                    (Irmã Regina)  

 

Padre Sérgio fez os três anos de teologia na Universidade São Tomas de Aquino, Angelicum, em Roma. Depois, retornando ao Brasil foi ordenado diácono dia 6 de junho de 1987 e sacerdote no dia 8 de dezembro de 1987, dia da Imaculada Conceição de Maria.

Como sacerdote foi designado para exercer seu ministério na Paróquia de São João Batista, em Jundiaí (SP).  Sucessivamente foi enviado para a Itália, onde em 1991 a Santa Sé fez um decreto permitindo a criação do Instituto dos Servos do Coração Imaculado de Maria, constituídos de sacerdotes e irmãos provindos da Congregação do Oblatos de Maria Virgem.  

 

Padre Sérgio esteve presente em diversas comunidades do novo Instituto e foi o primeiro formador dos postulantes dos Servos do Coração Imaculado de Maria. No ano de 2002 foi enviado à Aracaju, Estado de Sergipe, para abrir uma comunidade do Instituto.                                                                                                      

                                                                                                                                                         (Primeira Profissão Religiosa)  
                                                                                                                                                                                                           
Ali, começou a nascer no coração de Padre Sérgio o desejo sempre crescente de viver o carisma da Divina Misericórdia sem perder o carisma mariano anterior, através da leitura intensa e cotidiana do Diário de Santa Faustina. Um desejo e uma moção do Espírito Santo que o impelia pouco a pouco a fundar um novo Instituto, a dos Servos da Divina Misericórdia.                                            

 

 

 

 

(Primeira Profissão Religiosa)

 

Depois de um longo período de discernimento, cheio de provações e de luta interior, procurando ver os sinais da Vontade Deus através de várias situações e através da obediência ao diretor espiritual e ao superior geral do Instituto dos Servos do Coração Imaculado de Maria, padre Carlo Morelli, decide então deixar o Instituto para fazer uma experiência de um novo Instituto dedicado à Misericórdia Divina. Esta experiência iniciou-se em julho de 2007, na cidade de Fazenda Rio Grande, Paraná. Com o assenso de Dom Ladislau Biernaski, Bispo diocesano de São José dos Pinhais, foi instalado na Paróquia de Nossa Senhora de Fátima, para iniciar esta primeira experiência do novo Instituto, juntamente com algumas vocações masculinas.

Depois de três anos, em 23 de abril de 2010, Dom Ladislau publicou o decreto de aprovação, onde nasce oficialmente a Associação Pública de fiéis denominada “Instituto dos Servos da Divina Misericórdia”. 

 



 
 
         
Sobre nós
 
O Espírito Santo, que renova a face da terra, torna os membros desta Família atentos aos sinais dos tempos e os faz reconhecer no Culto e na Devoção à Divina Misericórdia um dom proveniente do Céu, em graus de curar radicalmente os males que insidiam o homem, sobretudo quando este sofre, quando é ameaçado no próprio coração da sua existência e da sua dignidade (cf. DM 2).
Faça contato
 
  [email protected]
  (41) 3608 - 2556
  (41) 3608 - 2556
  R. Seringueira , Número 609, Fazenda Rio Grande/PR
Encontre-nos
 
 
Home   •   Ir para cima   •   Sitemap
Facebook Twitter Google+ Google Pinterest LinkedIn Email Addthis
© Todos os direitos reservados ao proprietário da marca.
 
ARQUIVO CRÉDITOS NÃO ESTÁ ABRINDO, ESTÁ COM ERRO OU NÃO POSSUI A ASSINATURA.